Dia do orgulho autista

Dia do Orgulho Autista reforça a necessidade de conscientizar a sociedade sobre o autismo.
No Brasil, estima-se que haja 2 milhões de pessoas com autismo e, somente nos últimos anos, essas pessoas e suas famílias começaram a ver seus direitos reconhecidos por leis federais, estaduais e municipais. É por isso que o Dia do Orgulho Autista, comemorado em 18 de junho, tornou-se uma oportunidade para conscientizar a sociedade sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e avançar na luta contra os preconceitos que ainda marcam a forma como grande parte da sociedade lida com as pessoas com autismo.
O  TEA refere-se a uma série de condições caracterizadas por desafios com habilidades sociais, comportamentos repetitivos, fala e comunicação não verbal, bem como por forças e diferenças únicas, existentes em diversos graus de menor a maior intensidade. O autismo é mais comum do que se imagina e quem convive com o transtorno ainda sofre muitas dificuldades sociais.
É uma oportunidade para apoiar as famílias das pessoas com autismo na sua luta pelo reconhecimento e cumprimento dos direitos que vêm sendo arduamente adquiridos e também para reconhecer a individualidade de cada pessoa com autismo e integrar esse reconhecimento nas nossas interações com elas, seja como familiares, amigos, parceiros, profissionais.
De acordo com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, do governo federal, a data foi celebrada inicialmente no ano de 2005, pela organização americana, Aspies for Freedom. No Brasil, especificamente em Brasília, um grupo de pais, familiares e amigos de pessoas com autismo aderiu ao movimento, e, desde então, a comemoração tem se tornado mais popular no país a cada ano. O objetivo é mudar a visão negativa dos meios de comunicação quanto ao autismo.
#psicopedagogia
#neuropsicopedagogia
#pedagogia
#maternidade
#mães #filhos #pais
#crianças #escola #educação
#educaçãoinfantil #família
#ensinoaprendizagem
#atendimentopedagógico
#saude
#saudeematernidade
#pedagogiahospitalar
#psicologiapositiva
#bemestar
#cienciadafelicidade
#neurociencia
#neuropsicologia
#neuroeducacao

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *